Segunda-feira
18 de Dezembro de 2017 - 

Clipping de Noticias

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Newsletter

Contatos

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,32 3,32
EURO 3,91 3,91

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Dia Nacional do Samba é comemorado em ato solene

Cinco escolas de samba da capital foram homenageadas na última terça-feira (5/12), no Auditório Franco Montoro da Assembleia Legislativa. A sessão solene foi realizada em celebração ao dia Nacional do Samba, comemorado anualmente em 2 de dezembro. O evento foi proposto pela deputada Leci Brandão (PCdoB). "Nunca havíamos feito uma homenagem específica para a velha guarda, que é a base de tudo em uma escola de samba. É por meio dessa ala que muitas coisas são construídas", disse. Mocidade Alegre, Nenê de Vila Matilde, Unidos do Peruche, Sociedade Rosas de Ouro e a escola santista X9 foram as homenageadas da noite. "A velha guarda já passou por muitas alas na escola até chegar nessa, é uma história do começo que vem chegando ao seu fim", disse a integrante da Rosas de Ouro, Maria Lurdes Clemente. O sambista Otacílio Ribeiro é membro da Unidos do Peruche desde 1961. Com o decorrer do tempo, ele acredita que o samba de raiz veio se perdendo. "Hoje a maioria dos integrantes das escolas são foliões, algo que não requer tanta habilidade como na década de 60, quando predominavam os sambistas de raiz", declarou, apontando para a "experiência que os mais antigos trazem para as novas gerações". Sônia Maria Paulino desfila na Nenê de Vila Matilde há 10 anos. "Hoje eu desfilo na ala das baianas, mas participo do carnaval desde os 13 anos, quando morava na cidade de Machado, em Minas Gerais. O samba paulista é diferente", disse. A Lei 15.690/2015 declara o samba patrimônio cultural imaterial do Estado de São Paulo, e a Lei 15.148/2013 declara o 25 de novembro como Dia Estadual das Tias Baianas das Escolas de Samba. Ambas foram de autoria de Leci Brandão. "A história do samba dentro dessa Casa está sendo contada muito bem e isso se dá pelo fato da presença assídua dessas pessoas no Parlamento paulista", comentou a deputada. Além de deputada, Leci Brandão é cantora, compositora e umas das mais importantes intérpretes de samba da música popular brasileira. Começou sua carreira musical no início da década de 1970, tornando-se a primeira mulher a participar da ala de compositores da Escola de Samba Mangueira, do Rio de Janeiro.
07/12/2017 (00:00)

Contate-nos

Farah, Bittar, Ramos e De Luca - Sociedade de Advogados

Rua Viscondessa de Campinas  244
-  Nova Campinas
 -  Campinas / SP
-  CEP: 13092-135
+55 (19) 3252.2765
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  552863
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.